sexta-feira, 30 de julho de 2010

terça-feira, 27 de julho de 2010

Para entender Bruno...

Para entender Bruno, o goleiro, é inevitável entender Bruno, o psicopata. Psicopatia, como se sabe,não é psicose, como são as esquizofrenias, os distúrbios bipolares, por exemplo. Trata-se de um transtorno do caráter. Usualmente é entendido como sinônimo de delinqüência e ponto. Não é tão simples assim.

A entrada da pessoa na cultura, uma forma de nascimento social, depende fundamentalmente da internalização de uma sofisticada Lei da maioria que surgir como uma interdição no momento que Freud batizou de Complexo de Édipo e a função do Superego. Esta instância é o lugar do limite, da Lei, do Não. Na ausência completa do Não o Sim não existe.

A rede social em seu imaginário cria e cultua modelos de ética e moral a partir da lei familiar do significado desta palavra “Não” imposto em sua instância fundamental pela proibição do incesto e outras aplicações, um dever e um impedimento que se transmite por todas as vias de comunicação, sem o que a civilização não seria possível e a fragilidade da raça humana não sobreviveriam.

Tal ordem garante a rede, que garante a vida. Dependemos uns dos outros, cada um no seu pedaço para mantermos um sistema de sobrevivência. A raça humana é frágil, susceptível a qualquer doença e para a mínima produção necessita de famílias organizadas em funções. Estas se mantêm através da lei cuja mãe é: fica proibida a relação sexual ou reprodução dentro da mesma família. E por aí vai.

Alguns se excluem ou são excluídos desta organização legal, aliás, enfatizada nos Dez Mandamentos e suas metáforas.

O que ocorre então quando alguém se vê desprovido de tal sistema mental, moral ético? Já lhes digo: cria por conta própria sua legislação. Funda um amontoado de regras que não reconhecem ou respeitam o outro. Não existe o semelhante, por assim dizer.

Nasce um psicopata.

Tudo o que a sua inteligência, desejo e instinto ordenarem, para levar-lhe ao prazer ou ao alívio prazeroso da dor ou da frustração da dor é legal na sua constituição. Não há culpa, não há alma, só uma modalidade perversa de gozo e uma conseqüente e patológica sensação de onipotência. E agem dentro desta lei não compartida sequer pelos próprios psicopatas. Por isso não se organizam como força unida, o que convenhamos é um alívio. Impregnam-se de lógicas individuais que não devem explicações a ninguém, nem a eles próprios;

O resto vem por conta. Grupos extra ou intra familiares, que tiram do próprio umbigo as regras sociais e mesmo a lógica, escondem-se em uma modalidade bizarra de necessidade ou da ignorância diante da impotência de uma sociedade que não é suficientemente estética para impor pelo bem, a Lei Única citada. Os mandamentos estéticos, as virtudes, tudo isso passa longe, muito longe de seus insólitos psiquismos auto credenciados a qualquer coisa que seja. Tal patologia não é privilégio: ocorrer nas melhores famílias. Basta a Lei não exista ou não seja suficientemente eficaz em todas as suas vertentes.

Este buraco negro da psicopatologia cria um impasse social. Como se vê em milhões de “casos Bruno” em todo o mundo em todos os tempos uma coisa é certa: não podemos nos furtar a um exercício emergencial: pensar.


Paulo Bonates
O autor é médico psicanalista

terça-feira, 20 de julho de 2010

Resposta de Um Médico para Outro...

RESPOSTA DE UM MÉDICO,
DR. HUMBERTO DE LUNA FREIRE FILHO ,
PUBLICADA NO “O ESTADO DE SÃO PAULO ”
A OUTRO MÉDICO, DR. ALDO PACINOTO


Carta do Dr. Aldo Pacinoto( 1a CARTA)
Prezado senhor Humberto.
Sei perfeitamente que os leitores do jornal O Estado de S. Paulo são conservadores, muitas vezes reacionários, claramente de direita.
Mas algumas cartas chegam ao cúmulo do absurdo.
Ontem um leitor disse que a culpa dos erros nas cartilhas do governo do senhor José Serra é culpa de algum "petista infiltrado" na Secretaria da Educação. Hoje, o senhor faz uma observação completamente equivocada. Não é apenas o presidente americano Obama que elogia o nosso presidente. Os elogios estão vindo de todos os continentes. É o presidente francês, é o presidente sulafricano, o premiê inglês, finlandes, a alemã. Só não veem em Lula um grande líder pessoas preconceituosas que ainda o enxergam como um metalúrgico analfabeto. O senhor deve ser de classe média média ou alta.
Pergunto: o que piorou em sua vida com o governo Lula? O que vai melhorar com o governo Serra? É claro que a classe média não quer enxergar em Lula um presidente que tem enfrentado crises econômicas internacionais como ninguém.
O senhor lê a Economist? O El País? O Le Monde? Se ficar lendo apenas o Estadão e a Veja terá uma visão burguesa e centrada em críticas e mais críticas. Radical.
O senhor sabe o quanto o atual governo melhorou a vida dos menos favoreci­dos? O senhor não quer que ele melhore a vida dos mais pobres? Sou médico, não sou petista, sou classe média até digamos alta. Tinha tudo para pensar como os leitores do Estadão, que mandam frases de efeito, às vezes engraçadinhas, que o jor­nal adora publicar. Mas, felizmente, penso exatamente ao contrário desses leitores. Graças a Deus e ao meu pai, que me ensinou a olhar a vida sem radicalismos.


Atenciosamente.
ALDO PACINOTO
Curitiba


RESPOSTA DO DR. HUMBERTO DE LUNA FREIRE FILHO
Prezado colega Aldo (Também sou médico - Neurocirurgião)

Antes de mais nada quero deixar claro que não sou eleitor do Sr. José Serra, sou apolítico, não filiado a nenhum partido, tenho nojo de politíca, e consequentemente, de políticos, principalmente dos atuais.
Sou a favor sim, dos princípios morais, mas, para meu desapontamento, isso transformou-se em fruta rara nos três Poderes da República no atual governo. Quero também informar ao colega que leio qualquer publicação e não só O Estado de S. Paulo e a Revista Veja, como também já viajei por meio mundo, portanto, vou responder suas indagações com conhecimento, e o que é mais importante, com a independência de um profissional liberal não comprometido com governo nem com imprensa nem com igreja nem com sindicatos ou com quem quer que seja.
Quanto à sua pergunta sobre o que piorou na minha vida durante o governo Lula e as possíveis melhoras em um possível governo Serra, eu diria que não houve nem haverá nenhuma mudança. Nem eu quero que haja, porque de governo, qualquer que seja a tendência ideológica, eu só desejo uma coisa: DISTÂNCIA.
Não dependo nem nunca dependi de nenhum deles. Uma outra afirmativa sua é sobre a melhoria da vida dos mais pobres (por conta do bolsa família, imagino). Minha opinião é que bolsa família não é inclusão social, é esmola, mais pre­cisa­mente compra disfarçada de votos. O pobre não quer esmola, quer escolas, hospitais, ambulatórios que funcionem na realidade. Nos palanques eleitorais já foi dito até que a medicina pública brasileira está próxima da perfeição. Só que a cúpula do governo, quando precisa de assistência médica, dirige-se ao Sirio-Libanês ou ao Hospital Israelita, e chega em São Paulo em jatos particulares. O colega, como médico, não deve ignorar essa realidade.
Na área rural, falta mão de obra porque o dito trabalhador rural virou para­sita do governo, e não mais trabalha. "Para que trabalhar? Eu fico em casa e no final do mês o governo me paga". Essa foi a frase que tive que engolir, não faz muito tempo, antes de abortar um projeto em minha propriedade rural, que empregaria pelo menos 50 pessoas. Quando optamos pela mecanização, vem um bando de sindicalistas hipócritas junto com a quadrilha do MST, diga-se de passagem foras da lei e baderneiros, financiados com dinheiro público, dizer que a máquina está tirando o emprego no campo.
Outro item a que você se refere é sobre a minha observação, completamente equivocada (equivocada na sua opinião), publicada hoje no jornal O Estado de S. Paulo. Pois é, aquela é a MINHA observação, e eu espero que o colega a respeite como eu respeitaria a sua, se lá estivesse publicada. E mais, se você quiser fazer um giro maior, saindo portanto, da esfera do Estadão e da Veja para fugir do conservadorismo dos mesmos, (conservadorismo também opinião sua - e respeito), verá que existem muitas outras publicações minhas dentro do mesmo raciocínio, coerência, independência e coragem que tenho para falar o que quero, e assumir totalmente a responsabilidade pelo dito. Colega, por favor, pesquise os seguintes jornais: Diário de Pernambuco (Recife-PE), Diário da Manhã (Goiânia-GO), Gazeta do Povo (Curitiba-PR), O Dia (Rio de Janeiro-RJ), Jornal O Povo (Fortaleza-CE) e outros, além de dezenas de sites e blogs.
Agora faço a minha primeira pergunta: São todos conservadores e reacionários? Não! São independentes. Não são parte da imprensa submissa e remunerada com dinheiro público, não fazem publicidade da Petrobras, do Banco do Brasil , da Caixa Economica Federal, do PAC, e o mais importante, não recebem ordens de Franklin Martins, (o Joseph GoebbelsTupiniquin), manipulador de informações, prestidigitador que usa o vulnerável substrato cultural brasileiro, para transformar câncer em voto.
E para encerrar, permita-me fazer mais essas perguntas: O The Economist, o El País, O Le Monde, etc. informaram a opinião pública européia sobre as dezenas de escândalos financeiros e morais ocorridos no País nos últimos sete anos, e que permanecem impunes por pressão do grande lider e asseclas? Informaram que o Congresso Nacional está tomado por uma quadrilha manipulada pelo Executivo (80% envolvidos em algum tipo de delito) e que conseguiram extinguir a oposição? Informaram que a maior empresa brasileira é estatal e ao mesmo tempo usufruto do governo, e que o mesmo tenta desesperadamente blindá-la contra qualquer fiscalização? Informaram que 40% dos ministros e ex-ministros desse governo respondem a processos por malversação de dinheiro público?
Eu acho que os chefes de estados da Europa não sabem dessas particularida­des. Por muito menos estão rolando cabeças no Parlamento Britânico, e com uma grande diferença: o dinheiro lá desviado é devolvido aos cofres públicos; enquanto aqui parte é rateada; parte é para pagar bons advogados, e outra parte é incor­porada ao patrimônio do ladrão.
Casos exaustivamente comentados na imprensa vem ocorrendo há anos com pelo menos cinco indivíduos que hoje fazem parte ativa da base de sustentação do grande líder. Isso para não falar de coisas mais graves como os assassinatos dos prefeitos de Campinas e de Santo André, envolvendo verbas de campanha. Crimes esses nunca esclarecidos e cujos cadáveres permanecem até hoje no armário do PT. Portanto, ver Luiz Inácio Lula da Silva como um líder é querer forçar um pouco. Para mim, ele não passa de papagaio de pirata de Hugo Chavéz. Veja a sua última pérola: " O Brasil acha petróleo a 6 mil metros de profundidade, por que não acha um avião a 2 mil? ". Isso não é pronunciamento de líder em um evento público envolvendo dezenas de chefes de estado. Isso cairia bem em reunião de sindicato ou em mesa de botequim. Caracteriza oportunismo vulgar.
Moro no Brasil, sei ler e não sinto azia quando leio. Não sou preconceituoso nem radical, modéstia a parte, sou esclarecido, e se combater corrupção é radicalismo, aí sim, sou RADICAL, e estou pronto para qualquer coisa como todo nor­destino... de caráter.

Atenciosamente.
Humberto de Luna Freire Filho
São Paulo

JORGINA, A MAIOR FRAUDADORA DO INSS, AGORA É ASSESSORA...


Pasmem! Jorgina de Freitas, a maior FRAUDADORA do INSS, é hoje ASSESSORA do Pres. da CEDAE (RJ), Wagner Victer. Inacreditável!!! Repassem essa informação. Vejam abaixo.

A ex-procuradora do INSS, Jorgina de Freitas, em 1992, foi condenada junto com o juiz Nestor José Nascimento e o advogado Ilson Escóssia por fraudes que desviaram R$ 310 milhões do INSS. Posteriormente, Jorgina foi condenada a devolver aos cofres públicos R$ 200 milhões. Ela fugiu do Brasil e foi presa na Costa Rica, em 1997.

Agora, embora continue cumprindo pena Jorgina de Freitas passou ao regime semi-aberto, porque conseguiu um emprego. Adivinhem o que ela faz? Foi contratada pela CEDAE e hoje, assessora o presidente da empresa, Wagner Victer. Acreditem se quiserem.

Vejam a nota do jornalista Claudio Humberto:

"Bem, uma pergunta não quer calar. Que tipo de assessoria Jorgina de Freitas pode estar prestando a Wagner Victer? Bem, de água ela não entende, mas de fato, é inegável, passou uma boa parte da sua vida “chafurdando no esgoto”, desviando dinheiro dos aposentados e pensionistas.

Também não podemos esquecer que, se na secretaria de Saúde o “mar de lama” se espalhou, na CEDAE é um “mar de esgoto”, de tantas irregularidades praticadas na gestão de Wagner Victer. Talvez por isso, Victer convocou os “prestimosos serviços” da maior fraudadora do INSS da história. E aí Victer, não vai dizer nada? A população está aguardando uma explicação..."


==========================================================

"Assim como falham as palavras quando querem exprimir qualquer pensamento,
Assim falham os pensamentos quando querem exprimir qualquer realidade,
Mas, como a realidade pensada não é a dita mas a pensada.
Assim a mesma dita realidade existe, não o ser pensada.
Assim tudo o que existe, simplesmente existe.
O resto é uma espécie de sono que temos, infância da doença.
Uma velhice que nos acompanha desde a infância da doença."
(Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa)

Vamos dizer não ao fechamento...

Jornal do Brasil: Vamos dizer não ao fechamento...
Você está convidado para participar da manifestação que o Sindicato vai fazer em frente à sede do Jornal do Brasil – Av. Paulo de Frontin 568 – na quarta-feira, dia 21, ao meio-dia. Será um protesto para tentar evitar o fechamento do jornal e alertar as autoridades da área do Trabalho para que não se repita o que aconteceu com os ex-empregados do grupo Bloch - muitos morreram sem serem indenizados e a maioria só recebeu, na Justiça, 10 anos depois da falência. Leia mais

Salve Sakineh...

Graças a protestos globais a iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani acabou de escapar da morte por apedrejamento.

Ela ainda poderá ser enforcada, mas a execução por apedrejamento continua. Agora mesmo outras 15 pessoas estão no corredor da morte aguardando serem apedrejados, onde as pessoas são enterradas até o pescoço e pedras enormes são jogadas nas suas cabeças.

O perdão parcial a Sakineh, fruto dos esforços dos seus filhos em gerar uma pressão internacional, mostrou que se nós nos unirmos manifestando o nosso horror, nós poderemos salvar a vida dela e acabar com o apedrejamento de uma vez por todas. Assine a petição urgente agora e depois envie para todos que você conhece -- vamos acabar com estas execuções crueis agora!

http://www.avaaz.org/po/stop_stoning/?vl

Sakineh foi condenada por adultério, assim como as outras 12 mulheres e um homen, que aguardam o apedrejamento. Mas os seus filhos e um advogado diz que ela é inocente e que ela não teve um julgamento justo, dizendo que a sua confissão foi forçada e como ela só fala azerbaijano, ela não entendeu o que estavam perguntando no tribunal.

Apesar do Irã assinar a convenção da ONU que requere que a pena de morte seja usada somente para os “crimes mais sérios” e apesar do parlamento iraniano passar a lei banindo o apedrejamento ano passado, o apedrejamento por adultério continua.

Os advogados de Sakineh dizem que o governo iraniano “está com medo da reação pública no Irã e da atenção internacional” para acabar com o apedrejamento. E depois dos Ministros da Turquia e do Reino Unido se declararem contra a sentença de Sakineh, ela foi suspensa.

Os corajosos filhos de Sakineh estão liderando uma campanha internacional para salvar a sua mãe e acabar com o apedrejamento. Uma comoção internacional agora pode acabar com esta punição terrível. Vamos nos unir hoje ao redor do mundo para acabar com esta brutalidade. Assine a petição para salvar a Sakineh e acabar agora com o apegrejamento:

http://www.avaaz.org/po/stop_stoning/?vl

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Entrevista...

Na GTV, reveja a entrevista com o psiquiatra Paulo Bonates

Professor da Ufes e da Emescam, Bonates conversou ao vivo com internautas do portal Gazeta Online nesta segunda (12)

Laila Magesk - DA REDAÇÃO

Como o emocional afeta a saúde? Posso desenvolver doenças quando estou muito estressado? A ansiedade é capaz de descontrolar as defesas do meu organismo? Como um período de pressão no trabalho ou de problemas afetivos e familiares influencia no meu corpo e na minha mente? O psiquiatra especialista em doenças psicossomáticas Paulo Bonates respondeu essas e outras perguntas na tarde desta segunda-feira, 12, na GTV. Assista à entrevista na tela ao lado. Esse vídeo chat foi uma parceira com o canal Vida Saudável.


quinta-feira, 15 de julho de 2010

Esclarecimento...

Queremos que Bonner e Fátima façam as perguntas a Lula que o Reinaldo Azevedo sugere para a entrevista do Jornal Nacional:

1) O senhor prometeu criar 10 milhões de empregos e chegará ao fim do mandato criando quatro milhões. Neste tempo, a renda da classe média caiu, e os empregos gerados se concentram na faixa de até 2 salários mínimos. A chamada distribuição de renda do seu governo não se faz à custa do empobrecimento dos menos pobres?

2) O Senhor disse que banqueiro lucra no seu governo e, por isso, não precisa de Proer. O Senhor sabe quantos Proers o Brasil paga por ano para sustentar os juros reais mais altos do mundo?

3) O seu filho, até bem pouco tempo antes de o Senhor assumir a Presidência, era monitor de Jardim Zoológico e, hoje, já é um empresário que a gente poderia classificar de milionário. O Senhor não acha uma ascensão muito rápida?

4) Genoino sabia do mensalão. Silvio Pereira sabia do mensalão. Dirceu sabia do mensalão. Ministros foram avisados do mensalão.
Só o senhor, da cúpula, não saberia. O senhor não acha que, nesse caso, não saber é tão grave quanto saber? E se houver mais irregularidades feitas por amigos seus que o senhor ignore?

5) Presidente, na sua gestão, as invasões de terra triplicaram, caiu o número de assentamentos e mais do que dobrou o número de mortos no campo. Como o senhor defende a sua política de reforma agrária?

6) O senhor não tem vergonha de subir em palanque onde estão mensaleiros e sanguessugas?

7) Presidente, em 2002, o Brasil exportava a metade do que exporta hoje, e o risco país era sete ou oito vezes maior. O país pagava 11% de juros reais. Hoje, continuamos a pagar mais de 10%. Como o senhor explica isso?

8) Em 2002, o governo FHC que o Senhor tanto critica repassou para São Paulo, na área de segurança, R$ 223,2 milhões.
Em 2005, o seu governo repassou apenas R$ 29,6 milhões. Só o seu avião custou R$ 125 milhões.
Não é muito pouco o que foi dado ao Estado que tem 40% da população carcerária do país?

9) Quando o Senhor assumiu, o agro negócio respondia por mais de 60% do superávit comercial. Quase quatro anos depois, o setor está quebrado, devendo R$ 50 bilhões. O Senhor não acha que o seu governo foi um desastre na área?

Não deixe de repassar esta mensagem.

FAÇAMOS A NOSSA PARTE.

Corrente Geral - Virada contra PT

Tirem o ignorante de lá com os seus ladrões!!!!

PENSE NO FUTURO, SEU, DE SEUS FILHOS, AMIGOS, PARENTES!

Maldade...

http://www.youtube.com/watch?v=xI5HBF5xiDc&feature=related

Questions answered in French...

Por que a vida do homem é MUITO mais simples?



A cena da bicicleta de Butch Cassidy & The Sundance Kid...

A Pirates Studios e o Cine Paradiso apresentam:
“ A cena da bicicleta”
do Filme Butch Cassidy & The Sundance Kid, de 1969, com Paul Newman e Katharine Ross.
(Musica "Rain Drops Keep Falling on My Head” [Burt Bacharach & Al Davi].

video